REFORMA DA PREVIDÊNCIA: Perversidade com a Classe Trabalhadora

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: Perversidade com a Classe Trabalhadora

A equipe econômica do governo de extrema direita de Jair Bolsonaro (PSL-RJ), tem levantado inúmeras questões relativas à Reforma da Previdência, que se aprovadas serão um martírio contra a Classe Trabalhadora. Os mais pobres sofrerão com as decisões e os mais ricos serão os beneficiados.

As propostas são piores que a de Michel Temer.

De acordo com o texto debatido, os trabalhadores rurais levariam cerca de 10 anos nessa transição, o projeto de Temer previa 20 anos. Com um aumento da alíquota de contribuição de 11% para 14%.

Veja como fica a tabela por tempo de contribuição, considerando o salário de 2018:

Tempo de contribuição – Valor mínimo – Valor máximo
15 anos                  R$ 852,40         R$ 3.667,48
25 anos                  R$ 877,80         R$ 4.162,06
30 anos                  R$ 896,85         R$ 4.533,00
35 anos                  R$ 922,25         R$ 5.027,58
40 anos                  R$ 954,00         R$ 5.645,80
45 anos                  R$1.049,40       R$ 6.210,38

Para o secretário-geral da CUT-SP, João Cayres, com a proposta da equipe de Bolsonaro ninguém mais vai conseguir se aposentar no Brasil, somente os ricos terão vez. “Quem conseguir se aposentar vai ganhar tão pouco que vai precisar continuar trabalhando”, diz ele.

Em concordância o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Gravatá, manifesta sua indignação, reforçando o compromisso de luta pelos direitos do homem e da mulher do campo. Gente sofrida que deve ter seus direitos preservados.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *